segunda-feira, 16 de maio de 2016

Tatuagem

A Body Art utiliza o corpo como suporte da obra, e uma de suas manifestações mais conhecidas é a tatuagem. Alunos do 3º ano do Ensino Médio primeiro leram textos a respeito da Body Art, conheceram a origem da tatuagem e posteriormente tiveram a missão de criar tatuagens em luvas de látex que refletissem a personalidade de cada um. Deixei que escolhessem a forma de usar as luvas, se cheias de ar ou esticadas.




Copa do Mundo 2014

Por ser realizada no Brasil, certamente a Copa do Mundo foi tema de aulas e trabalhos em diversas salas de aula em todo o país. Por aqui não foi diferente, claro! Infelizmente perdi muitas e muitas fotos das atividades que realizei em meio a inúmeras formatações do meu notebook...as que encontrei estou publicando.
Procurei relacionar o tema com conteúdos correspondentes a cada série, dentro da Proposta Curricular do nosso município.

Arte reciclada com copos formando a Bandeira do Brasil com a Educação Infantil:


Reaproveitamos os copos que haviam sido utilizados na instalação da Cobra Coral, já publicada aqui. Os alunos do Pré I e Pré II pintaram com tinta guache e colaram na cartolina como base.

Camisas da nossa seleção com os 3º anos:



Recriação da obra "Operários", de Tarsila do Amaral, com a turma do 4º ano. Batizada por nós de "Torcedores".


Com os alunos dos 5º anos, mural para acompanhar o placar e resultados dos jogos. Estudo das camisas, bandeiras e cores das seleções participantes para confecção das camisas com dobradura.


Já os 7º anos fizeram os mascotes de todas as Copas. Era para ser colado em forma de tótem, mas não deu tempo :(



Móbiles

Adoro móbiles, a ideia de movimento e equilíbrio. Assim como em outros momentos, a turma de 9º ano criou e instalou móbiles para apreciação de todos na escola. Alguns dos trabalhos em fotos:






Recriando "O Abaporu"

Ao contrário do que muitos pensam, releitura não é fazer uma cópia exata da obra do artista. A arte existe justamente para que possamos modificar, repensar, recriar aquilo que já foi feito. Um das obras mais conhecidas e COPIADAS é  "O Abaporu", de Tarsila do Amaral. 

Utilizamos esta obra nas turma de 8º anos como base, e não como finalidade em si. Estudamos a questão da brasilidade proposta por Tarsila como ruptura aos modeos europeus, a simbologia da obra, a questão da deformação. 

Entreguei a cada aluno uma fotocópia da obra em preto e branco deixando claro que teríamos que recriá-la, dando novas formas e um novo contexto. E surgiram ideias muito bacanas, como essas:






Cobra Coral, de Schwanke

Entre o final da década de 80 e início da década e 90, ao criar uma instalação denominada "Cobra Coral" utilizando objetos do cotidiano (baldes plásticos) e expôr sua obra no jardim do Museu de Arte de Joinville, o artista Luiz Henrique Schwanke promoveu uma ruptura no que até então se entendia como arte, especialmente longe dos grandes centros como São Paulo ou Rio de Janeiro.

Seguindo a proposta do artista, os alunos do 5º ano aprenderam o conceito de instalação e tiveram que recriar o trabalho de Schwanke com copos plásticos, além de avaliar em conjunto qual seria o melhor local para colocar o trabalho pronto. A maioria optou por um espaço com grama e árvores que temos logo na entrada da escola, assim a instalação ficaria vísivel para todos que chegassem/ saíssem ou ainda que estivessem no pátio.



"Os Galos" de Meyer Filho

Particularmente amo as obras do artista catarinense Ernesto Meyer Filho, coloridas, com um sem número de formas e de uma ludicidade incrível em especial a série de pinturas que representa galos como seres fantásticos, quase sobrenaturais. 

Esse trabalho levou um bom tempo para ser realizado com a turma de 4ºano, pois resolvi dividir em etapas. Começamos estudando a biografia do artista, analisando suas obras e depois partes delas, em especial as formas e cores utilizadas por ele.

No momento seguinte, cada aluno precisou descobrir o jeito para desenhar o "seu" galo, criar as formas que seriam aplicadas nas partes do corpo do animal e selecionar as combinações de cores. Primeira etapa concluída, recortamos o galo já pintado com lápis de cor e colamos sobre papelão.

O fundo foi feito com pintura com tinta sobre papelão, e os galos colados com cola quente utilizando um recorte de papelão  atrás, de forma que os desenhos parecessem estar bem à frente do suporte utilizado.

Todos ficamos apaixonados pelo resultado alcançado através desta atividade. E vocês, o que acharam?








Arte Rupestre

Infelizmente foi preciso formatar meu notebook várias vezes e acabei perdendo as fotos tiradas durante a realização desta atividade...mas pelo resultado final dá para se ter uma ideia de como trabalhamos este tema.
Primeiro, claro, estudamos a parte teórica da Arte Rupestre, suas características, e analisamos uma série de imagens de desenhos naturalistas e estilizados feitos nas paredes das cavernas.
Entreguei a cada aluno um prato de papelão e pedi que fizessem um desenho no centro a partir do que tínhamos visto em sala de aula, passamos cola e aplicamos areia sobre eles. Ao redor do desenho, passamos com os dedos massa corrida para dar a sensação do volume das paredes e depois de seca, pintamos com uma mistura de tinta aguada.

Aqui, uma imagem dos trabalhos já prontos: